PESSOAS LGBT ODEIAM CRISTÃOS?


Não sou muito de responder a postagens, principalmente vindas de pessoas com má intenções, mas recentemente li o comentário de uma advogada "cristã", LGBTfóbica declarada, muito conhecida na cidade de Teresina por seus impropérios contra a comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais e, resolvi responder.

Recorrentemente usando a palavra "gayzistas", ela fala a seus seguidores sobre o ódio que as pessoas LGBT sentem dos cristãos, ao ponto de persegui-los, citando uma suposta matéria de um pastor que sofreu ataque de um homem gay. Ela, e muitos outros seguem o mesmo falso ensino sobre nossa comunidade que é pregado nos estudos de escolas dominicais há várias décadas, o ensino do ódio genuíno. Sim, isso independentemente da pessoa.

Parece que macular nossas comunidades traz em si um tipo grosseiro de status entre os fundamentalistas cristãos. Ás vezes tenho muita compaixão, mas às vezes fico irritado e frustrado. Sabe, independentemente das razões, chega um momento, após a apresentação da verdade dos fatos do horrível tratamento que nossos irmãos e irmãs LGBT sofrem, que somos todos responsáveis pelo que cremos e pelas suas consequências. De nossas palavras, nosso silêncio, ações e inações.

Queria dizer que a pergunta apresentada no título é muito boa, e posso dizer o por quê.

É porque muitos cristãos dizem "odiar o pecado e amar o pecador", citando uma frase de Gandhi, em um trecho onde ele falava que era impossível se fazer isso, pois inevitavelmente, na verdade, você estava odiando o pecador.

É porque muitos na igreja não param de dizer essas palavras o tempo suficiente para conhecer as pessoas LGBT, para ouvi-las e não condená-las; É porque continuam a usar frases como "escolha de estilo de vida" para descrever algo que não é experimentado como uma escolha, e, que é tão variada no estilo de vida como heterossexuais são. Meu estilo de vida é diferente de inúmeros outros homens gays, assim como é verdade para as lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. Ou mesmo entre homens e mulheres héteros.

É porque as pessoas LGBT são informadas de púlpito que não são bem-vindas; são removidas das lideranças das igrejas, são evitadas em seus templos. Alguns líderes pedem que seus pais expulsem seus filhos, caso não queiram "mudar". (Uso aspas porque ser uma pessoas LGBT não é algo que se pare, como beber. É algo como parar de ser uma pessoa canhota, o que torna a experiência de mudança impossível e sem amor).

É porque as crianças estão sendo mortas por seus pais "cristãos", presumidamente em resposta ao ensinamento dos pastores e pastoras que lhes instruem a fazer isso. Isso inclui crianças que nunca sequer tocaram a mão de alguém, muito menos outras coisas.

Pessoalmente não acho que seja um bom negócio para comunidade LGBT frequentar igrejas que creem numa teologia bíblica que "de uma forma ou de outra a odeie". Rejeição, condenação, julgamento, vergonha, expulsão e comumente mal-entendidos, são formas muito práticas de demonstrar ódio.

Acredito que muitos dos que continuam a massacrar pessoas LGBT, o fazem por ignorância, realmente creio, mas já é tempo de para parar e aprender. Se as pessoas se recusam a apreender, então, realmente não merecem que percamos nosso tempo tentando um diálogo sério.

Espero que todas as pessoas que leiam esse post se envolvam o suficiente para apreender quais são as verdadeiras indagações e sobre quem elas realmente são.

Fonte: http://www.patheos.com/blogs