Quando os cristãos Amam mais a Teologia do que pessoas


Além das igrejas, blogs religiosos e escolas bíblicas ninguém realmente se preocupa com a teologia. O que faz uma matéria é a maneira como você trata as outras pessoas.

Dentro da cristandade, estamos muitas vezes ensinando exatamente o oposto: que as doutrinas, tradições, teologias e crenças distintas são a única coisa que não importa. É o que separa igrejas, denominações, teólogos e aqueles que estão "salvos" dos "não salvos".
Historicamente, os cristãos têm sido tentados a classificar a Bíblia em vários conjuntos de crenças que são ou inspirados ou heréticas, boas ou más, certas ou erradas - sem margem para dúvidas ou questionamentos ou mesmo incertezas.
É fácil ser pego teorizando a respeito de Deus, mas dentro de nossa vida quotidiana a realidade é o que mais importa para as pessoas ao nosso redor. Teorizar só se torna importante uma vez que seja relevante, prático e aplicável às nossas vidas.
Quando estou doente e você me traz uma refeição, não me importo se é um calvinista ou arminiano.
Quando sou pobre e você me dá um pouco de comida e dinheiro, não me importo se é pré-milenista ou pós-milenista.
Quando estou no hospital e você me manda uma cesta de frutas, não me importa de qual denominação é.
Quando você visita meus avós na casa de repouso, não me importa que estilo de música de adoração você ouve.
Quando você faz a gentileza de limpar a calçada de meu pai, não me importo com qual tradução da Bíblia que você lê.
Quando você dá ao meu amigo uma ajuda, quando seu carro quebra, não me importo se você é batista ou católico.
Quando você ajuda a minha avó transportar uma carga pesada de mantimentos, não me importo com o que você acredita sobre a evolução.
Quando você protege meus filhos de serem atropelados por um carro quando estão correndo na rua, não me importo com quem seja seu teólogo favorito.
Quando você está comemorando meu aniversário comigo, não me importo com seus pontos de vista relacionados ao batismo.
Quando você chorar ao meu lado durante a morte de um membro da família, não me importo se você dá o dízimo ou não.
Quando você se dá de maneira profunda, significativa e com autenticidade no amor - nada realmente importa.
Mas quando você idolatra os sistemas de crenças e transforma a teologia em uma agenda, envenena a própria ideia de amor desinteressado. A mensagem do evangelho se transforma em propaganda, os amigos em clientes, e seu relacionamento com Deus se transforma em uma religião.
Você pode ter a teologia mais intelectualmente acreditada, mas se não for entregue com amor, respeito e bondade - é inútil.
A aplicação prática do seu amor é tão importante quanto a teologia por trás dele. Nossa fé é evidenciada pela forma como tratamos @s outr@s. Será que a realidade de sua vida reflete a teoria por trás de suas crenças espirituais?
Nunca devemos desistir da teologia, do estudo acadêmico, ou da busca de compreender Deus, a Bíblia, a história e as tradições da igreja, mas essas coisas devem inspirar-nos a imitar a Cristo - de forma abnegada, com sacrifício, e holisticamente amar @s outr@s. A Teologia deve reforçar nossa motivação para fazer as coisas que tornam o mundo um lugar melhor - e não servir como plataformas para repreender, criticar e atacar @s outr@s.
Mas muitas vezes somos culpados de não aplicar praticamente nossas crenças de maneira tangível que realmente ajude @s outr@s. No final, isso é o que mais importa para o mundo que nos rodeia: que nós simplesmente amemos como Cristo amou.

Stephen Mattson contribuiu para Revista Relevante e o Burnside. Escritor de Coletivo, estudou Pastoral Juvenil no Moody Bible Institute. Ele está agora na equipe da Northwestern College, em St. Paul, Minnesota Siga-o no Twitter @ mikta .
Fonte: http://sojo.net/blogs/2014/01/22/when-christians-love-theology-more-people