segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Conheça Malva, a travesti prestes a completar 97 anos

De origem chilena com 17 anos de idade, cruzou a Cordilheira dos Andes a pé até chegar  a Argentina, enfrentando a perseguição das travestis e transexuais praticada por vários governos

Pesquisando sobre as políticas das mulheres T na Argentina na atualidade sem querer me esbarro com essa vovózinha T, essa lindeza o nome dela é Malva a travesti mais velha desse país, ou quem sabe do mundo, hoje ela é colunista no suplemento da Página/12  que pertence a equipe de O Weave, a primeira revista trans na América Latina. Sem saber usar computador, ela escreve tudo em um caderno e em seguida em uma maquina de datilografia.

Minhas mãos estão cansadas mais "Minhas idéias, meus pensamentos estão muito coordenados. Coordeno bem". diz Malva.
Malva sempre soube de sua orientação sexual, era algo genético que não haveria como escapar, cruzou a Cordilheira do Andes a pé para encontrar a liberdade sexual, foi presa varias vezes pelos governos peronistas, pois não se encaixava no sistema moral, trabalhou como garçom, chefe de cozinha, nos melhores restaurantes de Buenos Aires, já mais assumida foi costureira e figurinista de grandes estrelas do teatro de revista em Corrientes, e pasmem a linda até viajou para cá no Rio de Janeiro onde trabalhou montando os figurinos de escolas de samba. 
Ela adora conversar, tanto que às vezes prefere ficar em silêncio por dias. Quando sai para comprar pão ou tomar o ônibus, as pessoas a chamam de avó, relata com muito orgulho. Hoje é tudo maravilhoso, a presidente Cristina Kirchner, me deu o que eu sempre queria na minha vida "A Liberdade", tive o prazer de entrar na Casa Rosada como uma travesti, e a nossa presidente faz a lei de forma igual, isso nunca havia acontecido deste inicio da história desse país. disse ela em lágrimas. 

Malva e sua biografia, escrita por ela mesma

Na América do Sul, incluindo o Brasil a média de vida de uma Travesti e Transexual é de 35 anos, esperamos que essa dura realidade mude e passamos a ver histórias como essas de superações!