terça-feira, 26 de novembro de 2013

Documentário americano “For the Bible Tells me So” (Assim me diz a Bíblia)

Gênero: Documentário
Duração: 95 min.
Tipo: Longa-metragem / Colorido
Produtora(s): Atticus Group, VisionQuest Productions
Diretor(es): Daniel G. Karslake
Roteirista(s): Daniel G. Karslake, Helen R. Mendoza
Elenco: Chrissy Gephardt, Mary Lou Wallner, Tonia Poteat, Richard Gephardt, Gene Robinson, Desmond Tutu
 
O documentário americano “For the Bible Tells me So” (Assim me diz a Bíblia), é uma emocionante e bem fundamentada discussão a respeito do significado real da Bíblia naquilo que se refere à homossexualidade.
O filme conta com o depoimento de vários teólogos, pastores, do bispo anglicano Desmond Tutu, além de um rabino. Por meio destas participações se põe em questão o que realmente as passagens da Sagrada Escritura que se referem à relação entre pessoas do mesmo sexo querem dizer e se é justo, para com o sentido original do texto, usá-las como prerrogativa de condenação absoluta ao inferno para gays e lésbicas.
A interpretação literal do texto bíblico é desconstruída gradativamente na medida em que se contextualiza a situação cultural, a mentalidade presente na época retratada pelos textos.  Numa linguagem fácil, os diversos depoimentos vão nos fazendo perceber que assim, como a Bíblia foi, e às vezes, ainda é, usada para justificar uma submissão ideológica das mulheres em relação oas homens e a discriminação racial, hoje, o alvo dos fundamentalistas bíblicos são os homossexuais.
O filme não é, no entanto, uma discussão teológica entre especialistas. Na verdade, esta contextualização original das passagens bíblicas se justifica à medida em que o público-alvo do documentário são as famílias, especialmente as de origem ou tradição cristã.  Os idealizadores são um casal heterossexual Robin e Bruce, e a ideia desde o início era criar uma identificação com os telespectadores e quem não tem um parente ou um amigo gay! Por isso, o filme é centrado na história de cinco famílias cristãs com algum membro homossexual. Acompanhamos no filme os diferentes caminhos que cada família trilhou ao se deparar com a notícia de que um dos seus era homossexual, histórias distintas, mas que produziram em cada família uma profunda, e muitas vezes dramática, reflexão sobre o que a Bíblia realmente diz sobre a homossexualidade, mas acima de tudo, sobre a incondicionalidade do amor divino e humano.
As famílias foram muito bem selecionadas com histórias muito significativas, mas vale ressaltar a da família Robinson. São entrevistados os pais e a ex-mulher de Gene Robinson, o primeiro bispo anglicano assumidamente gay da história. Ele se converte num símbolo importantíssimo da possibilidade real de conciliação entre as identidades gay e cristã e não há como não se emocionar, no filme, com as cenas de sua consagração episcopal.
“Assim me diz a Bíblia” expressa de maneira muito clara que há uma ideologia perversa por trás do uso de passagens isoladas da Sagrada Escritura para justificar religiosamente o ódio aos homossexuais e nos mostra, concretamente, por meio da história de cinco famílias cristãs, os caminhos reais trilhados por pessoas que souberam resignificar em suas vidas o que realmente a Bíblia nos diz de mais importante e central: o amor verdadeiro e incondicional a todos.
Para quem se interessar há um site (em inglês) sobre o filme: http://www.forthebibletellsmeso.org/indexb.htm
ASSISTA O FILME NO YOUTUBE: