quarta-feira, 20 de novembro de 2013

LUCAS FORTUNA VIVE... VIVE EM CADA UM DE NÓS.


Ontem, 18 de Novembro de 2013, eu estive ausente, porque estava palestrando na OAB de Santos, como sempre em defesa da FAMÍLIA LGBT, e por isso estou aqui fazendo atrasada uma coisa que eu deveria ter feito ontem. Dois dias depois da condenação a prisão perpétua do assassino de Daniel Zamudio no Chile, e um ano depois de ver a comoção nacional do país todo pela morte de Daniel, eu venho aqui lembrar que ontem fez um ano da morte de LUCAS FORTUNA, que morreu vitima de um ataque homofóbico. E a única lembrança que vi, foi a mais dolorida, a mais sofrida, a do meu amigo Avelino, pai de Lucas.
Avelino, o pai de Lucas
Avelino, o pai de Lucas
Os assassinos ainda estão por aí, o processo parado, e a comoção foi só há um ano atrás por ocasião da morte e apenas das pessoas próximas a Lucas e de uma parte da militância LGBT. Lucas era jornalista, tinha a mesma profissão e quase a mesma idade do meu filho. Menino sorridente e cheio de amigos, foi fundador do Grupo Colcha de Retalhos, que lutava em defesa da causa LGBT dentro da Universidade Federal de Goiás.
Em 2004, Lucas foi um dos precursores do movimento pró-saia dentro da ENECOS (Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social). O que aconteceu naquele ano foi que uma das sedes para a realização do congresso foi a Universidade Católica de Brasília que, por meio da reitoria, dividiu os alojamentos em masculino e feminino. Foi então que Lucas, vestido de saia, dirigiu-se à reitoria para tentar constranger a administração superior e “agradecer” a Universidade por incentivar a prática homossexual. A partir de então, surgiram muitas histórias sobre o fato.
O mais importante, entretanto, é que a partir daquele ano a decisão de usar saias nos encontros da ENECOS tornou-se uma forma de expressar a autoafirmação da sexualidade e também uma forma de dizer que os gestos ou o modo como nos vestimos, nada interfere em nossa postura ou forma de intervenção. A maior luta de Lucas entretanto, era pela aprovação do PLC 122, que será votado amanhã no Senado.
Então vai aqui meu apelo ao Senado , em memória de Lucas que teve a vida prematuramente ceifada pela homofobia, não deixem que o direito de crer se sobreponha ao direito de “SER” ! Não deixem que mais famílias passem pela dor de Avelino Fortuna.
E termino roubando uma frase da ENECOS : “Ainda hoje vestimos nossas saias nos mais diversos cantos do Brasil, em uma luta diária contra qualquer forma de opressão.
E é por isso que ainda gritamos: LUCAS FORTUNA VIVE! Vive em cada um de nós. “ ! POR LUCAS FORTUNA, VISTA A SUA SAIA E PEÇA A APROVAÇÃO DO PLC 122 JÁ !!!
Lucas-enecos