quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Filme independente mostra muçulmanos enrustidos sob vigilância do FBI

"Dois adolescentes muçulmanos, gay enrustidos, tiveram sua tarde de sexta-feira arruinada pela vigilância do FBI. Apoio essa história de sigilo, confiança e amor."
Jay Dockendorf é um documentarista e jornalista, graduado pela Universidade de Yale. Ele tem uma coluna no The Huffington Post e conta que ficou estarrecido quando, há alguns anos, descobriu sobre o programa de espionagem do FBI em mesquitas no Brooklyn (distrito de Nova York). 

Assim ele descreve: "Em um mundo pós-11/9 [ataques terroristas de 2001], as tensões ainda são altas em relação aos muçulmanos em Nova York - bem, nos Estados Unidos como um todo - mesmo tendo passado mais de uma década. Essa questão me inspirou a produzir meu próximo documentário: Naz + Maalik."

O filme independente acompanha a rotina de dois adolescentes muçulmanos, gays enrustidos [até então], em Bed-Stuy, Brooklyn. Embora seja apenas um dia na vida desses dois jovens amantes, o documentário é considerado "uma carta de amor à determinação e à cor de Brooklyn; uma reflexão imparcial sobre os efeitos do sistema de vigilância norte-americano e do terrorismo; um filme sobre os paralelos e paradoxos das identidades nacionais e sexuais."


Para tornar o roteiro o mais autêntico possível, Dockendorf entrevista muçulmanos em todo o Brooklyn, incluindo vários indivíduos enrustidos que ainda escondem a sexualidade de suas (opressoras, alguns dizem) comunidades conservadoras.

Dockendorf ainda precisa de dinheiro para concluir a pós-produção de Naz + Maalik. Ele lançou uma campanha de arrecadação de fundos no site Kickstarter. Até hoje angariou mais de US$ 31.000 da meta de US$ 35.000. O orçamento total previsto para toda a produção do filme é de 75 mil dólares americanos.
Assista ao trailer.