EM MEMÓRIA DE DANIEL ZAMUDIO CHILE TERÁ MEMORIAL PARA A DIVERSIDADE


O espaço localizado no cemitério foi erguido como o primeiro símbolo contra discriminação chileno e honra aqueles que foram vítimas de abuso apenas por serem diferentes da maioria, como foi o caso de Daniel Zamudio, assassinado por sua homossexualidade.

Com a transferência dos restos mortais do jovem Daniel Zamudiobrutalmente assassinado por sua homossexualidade em 27 de Janeiro de 2012, Segunda-feira dia 20 será aberta no Cemitério Geral, o Primeiro Memorial da Diversidade.
O evento, que contará com a presença do presidente Sebastián Piñera e funcionários do governo, parlamentares, prefeitos e outras organizações que representam ou apoiam minorias sexuais, terá início às 11:00 e tem como objetivo ser o primeiro símbolo anti discriminação chileno e em honra aqueles que foram vítimas de abuso apenas por serem diferentes da maioria.
Este espaço, projetado pelo Movimento de Integração e Libertação Homossexual (Movilh), será o símbolo mais significativo e relevante para os direitos da diversidade sexual que ocorreram na história e é dedicado a todas as minorias, não só sexual.
O cemitério esta localizado à esquerda da entrada da avenida Recoleta e o memorial é composto por duas áreas, uma onde será o novo túmulo de Daniel e a outra é de reflexão dedicado a todas as diversidades.

O local deverá ser também um lugar onde as pessoas deixam seus cartões e presentes para Daniel, algo que vem acontecendo continuamente desde sua morte, um fato que não ficou impune com a condenação do acusado e gerou atualmente para o país uma lei de Luta contra a discriminação que pune qualquer ato ou conduta que ameaça o modo de ser, pensar ou agir de outra forma.

FONTE: http://www.lanacion.cl/