quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Nigéria: 11 homens muçulmanos acusados ​​de possivelmete seram gays serão julgados a sentença de morte por um tribunal religioso

Um tribunal islâmico na Nigéria levou a julgamento 11 homens muçulmanos acusados ​​de violar a religião devido à sua suposta sexualidade - se forem considerados culpados poderão ser condenados à morte por apedrejamento.

Os julgamentos estão acontecendo no estado do norte do país de Bauchi.
Jibrin Danlami Hassan, comissário da Comissão Sharia do Estado de Bauchi, disse que os homens foram detidos por moradores da cidade.
Eles foram entregues à polícia islâmica, que os interrogou, disse ele.
"Eles aceitam que estão fazendo esse jogo sujo", disse o Sr. Hassan à BBC .
Um defensor dos direitos gays nigeriano do Centro Internacional com sede na Nigéria para a Saúde Reprodutiva e Direitos Sexuais disse que alguns dos detidos tem sido espancados e torturados.
As reivindicações foram negadas pelo Sr. Hassan.
Estados predominantemente muçulmanos na Nigéria introduziram a lei islâmica, um sistema legal baseado na teoria islâmica e filosofia da justiça, em 2000.
Sob a lei islâmica, uma pessoa pode ser condenada à morte por apedrejamento em caso de condenação de homossexualidade.
Os relatórios dizem que uma 12º pessoa presa em Bauchi - cristão - será julgado pela lei secular.
Várias sentenças de apedrejamento foram proferidas por tribunais da Sharia no norte da Nigéria desde 1999, no entanto, nenhuma delas foi até agora realizada.
Qualquer um que entra em um casamento do mesmo sexo ou união civil pode ser preso por até 14 anos. A lei também proíbe as pessoas que se inscreverem, atuam ou participam em clubes gays, sociedades ou organizações, ou que mostram publicamente que estão em um relacionamento homossexual.
Relações do mesmo sexo já eram ilegais no país antes da nova passagem lei.