terça-feira, 17 de dezembro de 2013

LGBT: @s portadores da salvação.


E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a um homem apaixonado por  outro homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome do rapaz era Mario. E, entrando o anjo onde ele estava, disse: Salve, agraciado; o Senhor é contigo; bendito és tu entre os homens. E, vendo-o ele, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta. Disse-lhe, então, o anjo: Mario, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. E disse Mario ao anjo: Como se fará isto, visto que sou homem? E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; Porque para Deus nada é impossível. Disse então Mario: Eis aqui o servo do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dele. Lucas 1:26-38 ".

Os seres humanos de todas as esferas almejam alguma forma de salvação, mas ela nunca cresce onde é esperada. A salvação é a intervenção divina livre que excede o estabelecido e está incorporada no real, fundindo-se as estruturas que criamos para contê-la. Há respeitáveis, prováveis, vistos agradáveis​... Salvadores que nascem e morrem dentro de espaços sagrados que criamos para conter e controlar. Mas a salvação divina é o contrário, porque emana da liberdade de Deus e sua predileção pelo oprimido.


Não há salvação para aqueles que querem continuar a pressionar aqueles que são percebidos como a vontade de Deus, ou aqueles que estão satisfeitos com seu lugar. Não importa qual salvação pregas aos domingos, ela não é sua, mas vem da visão mais puritana do mundo. O desejo de salvação só pode nascer em pessoas que estão conscientes de suas deficiências, rejeição, humilhação, ignorância ou sofrimento. Só quem é oprimido e se atreve a dizer a Deus que a sua proposta de salvação é impossível, pode trazer o Messias a sua vida. Só o que aceita o impossível, o que sabe como ser um servo e não senhor pode oferecer a salvação para tornar-se carne no meio do mundo.
Natal não é sempre um anúncio de alegria e de esperança para os seres humanos, muitas estruturas opressivas tentam manipulá-lo reforçando e o legitimando deles. Uma dessas estruturas é o heterocentrismo reivindicando a heterossexualidade como o único lugar onde a salvação pode estar presente no mundo. E não como um fato acidental, mas necessário. Só a heterossexualidade salva, mesmo que reprimida, espiritualizada e não é consumada. Só ela é legítima para compreender, receber e transmitir a mensagem de justiça e amor de Deus. A heterossexualidade é a única porta para Deus. Você só pode ser a única ovelha para a qual Ele deixa as noventa e nove, a única terra que pode crescer a semente do evangelho, o único lugar onde pode nascer o Salvador.


Deus não permite ser manipulado por aqueles que querem a salvação, e que fazem com que as pessoas não mereçam nascer. Os homens que amam outros homens, mulheres para quem a sexualidade e procriação não são sinônimas, são indignos e precisam ser salvos. Precisamos ser libertados de seus medos, ansiedades e egoísmo. Precisamos viver com dignidade a doença, a pobreza e a miséria. Precisamos o mesmo que qualquer outro ser humano necessita. E, às vezes, é preciso força para amar livremente e em voz alta. A coragem para acariciar, abraçar ou andar de mãos dadas com a pessoa que quer à luz do dia ou no meio da comunidade da qual fazem parte. Somos seres humanos com muitas fraquezas e imperfeições, e assim, como o resto... Ou talvez um pouco mais, esperamos a salvação divina.

Às vezes nos sentimos indignos e longe da pretensão de ser a escolha de Deus. Mas o anúncio de Natal do anjo de Deus, nos lembra de que aqueles escolhidos para portarem a salvação não eram sacerdotes, nem mesmo profetas, mas duas pessoas indignas que não tinham nada mais do que Deus. As pessoas LGBT, como eles, podem ser um lugar de revelação, se si atreverem a dizer sim ao seu chamado, e reconhecer que somente o Espírito pode fazer sua vontade em sua vida, e, serem ferramentas úteis em suas mãos. Ferramentas que trazem saúde e vida em abundância ao nosso redor.

Vivemos em um mundo que precisa de Deus, você precisa de esperança, dignidade e justiça. Pessoas LGBT sem ilusão e outros, podem ser o lugar anunciado onde está o presente a salvação. E podemos ser quem somos, sem silêncio, como amamos e como nos sentimos, porque a nossa experiência de opressão, que certamente temos vivido, é um lugar privilegiado a partir do qual Deus pode agir. Somos portadores e portadoras de vida, alegria e esperança. Portadores de um amor que foi testado pelo fogo e pela ação de Deus, são vitoriosos. Coloque-se a serviço dos outros, nós conseguimos. Com humildade, mas com determinação. Não rejeitar eleição divina.
                                                                                           
Carlos Osma