Obama envia mensagem pró-gay à Rússia


Barack Obama enviou uma forte mensagem ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, ao anunciar que não estará presente na comitiva que representará os EUA nos Jogos Olímpicos de inverno, em 2014, em Sochi, e enviará, ao invés, duas atletas lésbicas.

A antiga tenista Billie Jean King e a jogadora de hóquei de gelo, Caitlin Cahow, vão integrar a comitiva que irá para o país que tem sido fortemente criticado pelas suas leis homofóbicas.
“A delegação dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos representa a diversidade do país. Todos os nossos representantes se distinguiram no serviço governamental, ativismo cívico ou desporto”, disse o porta- voz do Conselho Nacional de Segurança, Caitlin Hayden, citada pela agência de notícias Reuters.
Também o fato de nem Obama, nem a primeira-dama, Michelle, nem o vice-presidente, Joe Biden, estarem nas cerimônias pode ser simbólico, numa altura em que as relações entre os dois países estão fragilizadas, depois de a Rússia ter acolhido Edward Snowden que passou informações secretas sobre os serviços secretos norte-americanos.
Em 2010, nos Jogos de Inverno, em Vancouver, o vice-presidente Joe Biden liderou a comitiva norte-americana, enquanto, nos Jogos Olímpicos Londres-2012, foi Obama quem representou os Estados Unidos.“Não tenho paciência para países que tentam tratar gays e lésbicas ou transgênero de forma a intimidá-los”
Em Sochi, a antiga diretora de segurança interna, Janet Napolitano, vai liderar os norte-americanos na abertura, enquanto, no encerramento, o chefe da comitiva vai ser o secretário de Estado Adjunto, William Burns. “É obviamente uma posição clara, mas acho que é feita de forma muito respeitadora”, disse a atleta Caitlin Cahow ao jornal USA Today. “Basicamente, a Casa Branca está a elogiar os americanos que sabem o que é ter liberdade”, acrescentou.
Barack Obama não comentou a nomeação da comitiva, mas o presidente norte-americano já se tinha manifestado recentemente contra a homofobia na Rússia. “Não tenho paciência para países que tentam tratar gays e lésbicas ou transgênero de forma a intimidá-los ou a magoá-los”, revelou, em agosto, no talk show de Jay Leno, na televisão norte-americana NBC.
Em junho, a Rússia adotou uma lei que proíbe a veiculação de informação sobre homossexualidade junto dos menores, o que levou vários organizações dos direitos humanos a pedir um boicote aos Jogos.