Transexuais brasileiras são as principais vítimas de homofobia na Itália, aponta dados de ONG


Cerca de 20 transexuais brasileiras foram assassinadas na Itália nos últimos cinco anos. Os dados são da ONG Transgender Europe, que alerta para o alto número de vítimas de homofobia em um dos destinos mais procurados por travestis e transexuais.
Um levantamento feito por Leila Daianis, presidente da Associação Libélua, mostrou que mais de mil transexuais brasileiras vivem em terras italianas.
Segundo Leila, a discriminação na Europa é diferente da que acontece no Brasil. “Aqui eles te tratam bem para poder ver você longe. Os europeus são assim, eles te tratam, te ajudam, mas querem distância”, revelou a Leila.
A transexual ainda faz um alerta. “Antes de vir para a Itália, deve-se pensar em quantas são as barreiras que existem aqui. Uma delas são as normativas. Porque se a pessoa não vem com um trabalho, com uma coisa já certa, é inútil vir, porque depois passa a ser irregular, passa a cometer um crime na Itália. Pessoas sem documentos regulares são consideradas criminosas”, explicou em entrevista ao Terra.
Na Itália, uma cirurgia de readequação sexual entre 25 e 30 mil euros. No entanto, é preciso ter residência fixa no país para conseguir a autorização para realizar a cirurgia.
Fonte:http://famososemfoco.com.br/